Crianças e as doenças de inverno


As doenças de inverno na realidade começam no outono, o início do frio, a variação de temperatura, a umidade baixa do ar e o fato de em temperaturas mais baixas permanecermos em ambientes fechados faz com que nossa crianças acabem por ficarem mais doentes.
DOENÇAS DE INVERNO
Isso se dá, pois eles ainda não possuem a imunidade madura e não se adaptam bem a mudança climática. Por isso temos que melhorar a imunidade deles.
  • Manter a caderneta de vacinação em dia é importante, não só para a criança, mas para quem convive com ela.
  • Amamentar o máximo que puder para garantir um bom fortalecimento do sistema imunológico.
  • Utilizar o umidificador, ele melhora a qualidade do ar, ajudando as vias respiratórias.
  • Manter a casa limpa e arejada, evitando a poeira e a umidade.
  • Banhos de sol são muito importantes.
  • Não agasalhar em excesso a criança para, na hora de trocar a roupa, evitar o choque térmico.
  • Não usar remédios sem orientação médica
  • Lembre-se: ao primeiro sinal de febre alta, tosse e/ou problemas respiratórios, um médico pediatra deve ser consultado.
Perdemos água pela urina, vias respiratórias e até pela pele. Como o uso de roupas quentes é mais frequente nesta época, a transpiração evapora rapidamente por conta do ar frio e seco. Esse cenário desencadeia a desidratação. Por isso a hidratação é extremamente importante.


Leia mais sobre uma doença muito comum na época fria, neste texto da Mayara do Amor e Maternidade: Bronquiolite


O afeto é muito importante para o equilíbrio físico e mental das crianças. Aproximadamente 20 a 30% das infecções de vias aéreas tem como causa um fator emocional forte, normalmente relacionado aos pais. 


Por isso abrace bastante, cuide bastante dos seus filhos, deixando ele assim protegido em todos os aspectos importantes da vida dele. Sempre que tiver qualquer dúvida procure o médico pediatra, se tiver dúvidas do diagnóstico procure uma segunda opinião, peque pelo excesso.

Fonte: Revista Claudia

Publicado por: Jaqueline Bernardo Costa
Chegou até aqui, deixe seu comentário!




Nenhum comentário:

Postar um comentário