Ser mãe de menino ou de menina - felicidades diferentes?

Somos todas muito gratas a Deus independente do sexo do nosso filho. Ser mãe de menino ou menina tem a mesma alegria, a mesma intensidade e a mesma força. Não há diferença entre esse amor.



Às vezes escrevo sobre amar um menino e já me falam "e menina?". Calma gente, escrevo sobre os dois, pois nem todos são exclusivamente mães de menino, às vezes há uma menina, às vezes é um só, às vezes são dois meninos, meu público é grande.

Nunca na face da terra posso dizer que ser mãe se menino é melhor que ser mãe de menina, muito menos o contrário, afinal de contas, eu Jaqueline sou mãe de casal. Mas se não fosse? De qualquer forma não faria!

O que posso afirmar é que cada criança tem sua individualidade, sua própria personalidade. Mas isso também não é influência para amar mais um filho que outro apenas pelo gênero! Nem amar mais um filho que outro do mesmo gênero.

Ser mãe que é a melhor parte. Não importa o resto, ter uma criança para chamar de sua, ter alguém que precise de você, que ame você, que sabe que no que precisar você está ali. Isso que é o que importa, ser mãe, de menino ou menina não faz diferença.

Ser mãe é demais! Ser mãe de menina é ser mãe de princesa, ser mãe de menino é ser mãe de príncipe, e por ai vai, acontece que no meu caso por ser uma criadora de conteúdo, muitas vezes por descuido ou pela rotina mesmo acabo escrevendo num só gênero causando uma certa discórdia rsrs  

Por isso deixo aqui nesse post cards, sobre ser mãe de menino, de menina, de casal, e um pra quem tem muitos filhos hehehehe espero que gostem!




Antes de finalizar o post, tem um poema muito lindo sobre o filho preferido que acho que se enquadra nesse texto:

FILHO PREDILETO

Certa vez perguntaram a uma mãe qual era seu filho preferido,
aquele que ela mais amava.
E ela, deixando entrever um sorriso, respondeu:
“Nada é mais volúvel que um coração de mãe.
E, como mãe, lhe respondo: o filho predileto,
aquele a quem me dedico de corpo e alma…
É o meu filho doente, até que sare.
O que partiu, até que volte.
O que está cansado, até que descanse.
O que está com fome, até que se alimente.
O que está com sede, até que beba.
O que estuda, até que aprenda.
O que está com frio, até que se agasalhe.
O que não trabalha, até que se empregue.
O que namora, até que se case.
O que casa, até que conviva.
O que é pai, até que os crie.
O que prometeu, até que se cumpra.
O que deve, até que pague.
O que chora, até que cale.
E já com o semblante bem distante daquele sorriso, completou:
O que já me deixou…
…até que o reencontre…

Poema atribuído a Erma Bombeck

Você pode se interessar por essas leituras: 

Autoria de: Jaqueline Bernardo Costa
Chegou até aqui, deixe seu comentário!

LOGOTIPO DO BLOG MAOS MEU MENINO MINHA VIDA

Um comentário: